Texto sobre as minhas gatas

22-02-2012 13:33

    Este é um pequeno texto que escrevi acerca das três gatinhas que, infelizmente, não se encontram presentes:

"Porquê tiveram que partir? Ainda só nos tínhamos rido umas quantas vezes juntas das nossas tontices, das nossas conversas tolas.. Porquê é que partiram? Juntas éramos tudo.. Éramos alegria, éramos dor, tristeza, solidão, tontas...

Somos tão parecidas... Ambas Gémeos, nasceram um dia após o meu aniversário. Vi-vos nascer e aí nasceu um vínculo que nunca desapareceu, nem mesmo aquando do vosso desaparecimento nem das minhas lágrimas, nem do meu desespero... Apesar de tudo nunca consegui sentir nem um pouco de rancor, ou ódio.

Apenas muita tristeza, e alegria . Mas, ao contrário do que todas as pessoas dizem, não começei logo a pensar nos momentos juntos e a sorrir. Gritava, chorava, enterrava-me ainda mais na minha profunda solidão, na minha conchinha.

Foi tão injusta.. a vossa partida. Porquê?! PORQUÊ?! PORQUÊ?!

 

Já se passaram anos e mesmo assim, todos os dias luto contra a necessidade de saber o que vos aconteceu. Não me deram pista! Nenhuma!

 

Primeiro tu Pedra... Porquê? Deixaste-nos às quatro.. mas ainda mais importante, deixaste-as. COmo foi possível? Foste apanhada? Levaram-te? Tiraram-te deste mundo minha linda? Ajuda-me a esclarecer este mistério doloroso..

A seguir... a minha Farrusquinha linda.. Brincalhona, atrevida, simpática e fugidia. Sempre foste a mais maluca de nós as cinco... Seguiste a tua progenitora? Deixando  - nos nas ruínas do que outrora tínhamos sido...

A nossa linda Malhada... Tive que a deixar, sem saber. A minha mãe afastou-nos mas nem só por um segundo a esqueci... Lembro-me perfeitamente de nós as cinco na rua, a brincar... Eu a ajudar-vos a agasalhar.. as minhas pequeninas... Eram tão desprotegidas... Acolhi-vos.. e entre nós um raro círculo de amizade nasceu. Eras a mais querida.. a mais fofinha. A mais bebé. A mais perfeita? Nunca. Todas juntas, as quatro formavam um ser perfeito.

É o que quero pensar. Porque se não pensar no meu amor por vocês começo a subtmeter-me à metade de mim que quer acreditar que nunca fui nada para vocês, apenas a reles dona que alimenta e trata. Foi o que li num livro, há algum tempo atrás. Que para vocês, o dono é só isso. Um reles escravo. Fui isso para vocês? Uma reles escrava levada a cometer loucuras pelo amor por vocês? Uma escrava tonta? Com sonhos demasiado altos...

Por fim mas nunca última, a Branca. Liinda, com a pele mais branca que se pode imaginar. Eras muito querida e maluca também. Uma mistura das tuas queridas amigas e progenitora. Desapareceste da minha vida em último. Já a esperança de voltar a ser como dantes tinha fugido da minha alma ferida quando também tu te sumiste. Costumava falar contigo, perguntando-te por elas. Encolhias os ombros e brincávamos . Até que também tu, a pouco e pouco saiste da minha vida para nunca mais entrar novamente.

Mas... Gosto de pensar que a FARRUSCA, a minha nova amiga, é uma reencarnação de vocês as quatro. É meiguinha, preguiçosa, sonolenta, maluquinha, tontinha, atrevida , carinhosa... É tudo o que vocês foram e são, ainda no meu coração.

 

Obrigada minhas amigas, minhas Gatas"

 

O que acham ? Deixem comentários :)